Sabão Caseiro

Fazer sabão caseiro é uma das maneiras mais simples e prática de ajudar a reduzir a poluição em nosso planeta e ainda economizar dinheiro, certo? Errado! Pelo menos é o que diz um artigo da Revista Meio Ambiente.

No texto há o argumento de um professor chamado Pedro Sérgio e diz que sabão caseiro "não tem biodegradabilidade ou mesmo tendo, os agentes quimicos utilizados na sua composição reagem de forma potencializar a poluição na agua e formação de pedra dura (crostas), alem de atrair bacterias aerofagos que consomem o oxigenio da agua durante o processo de decomposição dos residuos do sabão na agua."

O Professor também citou um artigo da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e pessoal da revista prontamente encontrou e publicou o link para o arquivo pdf. Não consegui entrar em contato com o professor para obter mais informações e esclarecimentos a respeito de seu comentário já que o artigo da universidade é acadêmico e inacessível.
 
Aqui no Bravus já publicamos textos sobre como fazer sabão caseiro ecológico, produtos caseiros, naturais e ecológicos para limpeza e Receitas de Produtos de Limpeza Ecológicos e este artigo revela um novo aspecto sobre a produção de sabão caseiro.

Ficaremos atentos e publicaremos mais informações assim que as tivermos.

Comentários

Um Comentário para “Sabão Caseiro”

  1. Paulo Sorato on julho 14th, 2009 23:57

    Bom dia caro, li tanto o artigo da revista de meio ambiente, como o comentário do professor e artigo que ele referência. É no mínimo muito mal interpretada a colocação do senhor Pedro Sérgio que não faz parte do grupo de pesquisa da UFRGS, e se vc tiver acesso ao artigo você irá perceber que o artigo fala exatamente o contrário e tem um tópico especial sobre a biodegradabilidade dos sabões. Ë obvio que todo produto químico lançado no meio ambiente possuíu um certo impacto. Mas o impacto causado pelo sabão obtido a partir de óleo reaproveitado é um dos menores, em primeiro lugar porquê não há adição de detergentes ionicos e não biodegradável. E quando produzido pro pessoas qualificadas que controlam o tero de NaOH e o pH, trata-se de um produto biodegradável (95%) que evita a contaminação de duas fontes diferentes, já que vc está usando o óleo de cozinha pra fazer o sabão então não precisa de mais oléo contaminante para fazer o sabão. Um comentário no mínimo muito infeliz de tal pessoa que não é pesquisador do centro que sitou. A revista deveria publicar uma nota definitiva com a resolução da ANVISA pra evitar que leigos sejam enganados por tais comentários

Tem algo a dizer?